Pedacinho do Céu

 

O clima benfazejo,  o descanso,  o lazer,  o cheirinho do mato nas tardes modornentas com uma parada em baixo do tamarindeiro. A chuva (ouro branco do céu) veio e tornou fecunda a terra: feijão, milho, pinha, hortaliças  do canteiro para a panela ou para a mesa. O gostinho de plantar e colher.

O despertar do Sítio Histórico de Caboclo veio de uma iluminação através do filho de Afrânio, Cosme Cavalcanti, arregaçou as mangas, conclamou outros do pedaço e antes que completasse um ano da Comissão para a Revitalização, Caboclo já estava às mídias da imprensa, falada, escrita (até jornal da capital: JC Recife) e televisão.

Filhos e descendentes daquele “Pedacinho do Céu”mantendo suas residências em condições de moradia, os festejos do Senhor do Bonfim se entusiasmaram, e hoje nos finais de semana o povoado já se enche de alegria com a criançada que adora ficar de lá pra cá vivendo um tempo que jamais voltará.

Outros, como no caso de Angelita Cavalcanti Araújo, reservando de 3 a 4 meses durante o ano para viver o ar puro de  sua terra, onde das janelas de sua residência desfruta de uma visão total da serra. A volta às raízes é uma opção das mais agradáveis, me dizia ela.

Assim estão se abrindo os cofres dos corações dessa gente de Afrânio, de Caboclo, alguns que estavam fechados por dentro divergências que não levam a nada.  “Guardem tesouros no céu, o da terra enferrujam ou a traça corroe”. Abram-se para grande festa do encontro, as alegrias do amor. Deus passa escondido nos homens e nas coisas, com acontece hoje no “Pedacinho do Céu”. O sol de cada manhã, uma flor, sombra, as mãos que amassam a peta, que mexem os tachos de doce de leite, doce de umbu, que retiram das tetas das vacas o leite, ou preparam o pão. As meizinhas de Zefa do Caboclo aliviam dores, enquanto a filha trabalha o requeijão. A menina-moça faz bicinhos com sabor de juventude no doce de leite, e assim Deus passa em Caboclo, também nas casas pintadas cujas mãos traduzem a alegria de viver. E o pintor petrolinense descobre tudo isso e vai retratar também a natureza. E telas iluminadas quase ao natural surgirão dentro das casas embelezando paredes.

Deus seja louvado pela bondade e misericórdia na força de vontade de cada um daqueles que estão fazendo de Caboclo um “Pedacinho do Céu”.